terça-feira, 20 fevereiro, 2024
terça-feira, 20 fevereiro, 2024

 Além do inglês: veja 4 destinos para fazer intercâmbio

Em

Realizar um intercâmbio é uma oportunidade excepcional para ampliar horizontes, explorar novas culturas e aprimorar habilidades em um idioma estrangeiro. Embora muitos estudantes associem essa experiência ao aperfeiçoamento do inglês, é fundamental destacar que as possibilidades não se limitam apenas a países de língua inglesa. Na realidade, há uma diversidade de nações em alternativa, ampliando significativamente as opções para quem visa estudar no exterior.
 

“Embora a preferência pelo inglês seja esperada, dada sua importância global em contextos acadêmicos, profissionais e culturais, é crucial destacar a ampla gama de idiomas e destinos aguardando para serem explorados, ultrapassando as fronteiras do óbvio”, enfatiza Alexandre Argenta, presidente da Belta (Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio).
 

Enquanto o inglês lidera de maneira incontestável, representando 84% da procura, outros idiomas também ganharam destaque no cenário de educação internacional. O espanhol é a segunda escolha mais popular, com 6,2%, o francês e o alemão também têm sua importância, com 3,7% e 2,5%, respectivamente, evidenciando o interesse crescente por essas línguas e as oportunidades que oferecem em suas regiões, conforme aponta a pesquisa Selo Belta 2023.

Diante da riqueza linguística que nos cerca, conheça os quatro países não anglófonos mais buscados pelos intercambistas:

  1. Argentina: reconhecido por suas universidades gratuitas e alta qualidade de ensino, especialmente na área de medicina, cujo diploma pode ser validado no Brasil. O país conta com quatro pesquisadores laureados com o Prêmio Nobel, e a Universidade de Buenos Aires destaca-se como a primeira a compor o ranking top 5 da América Latina no QS World University Rankings.
     
  2. Itália: vale ressaltar sua educação superior como referência global. Das 20 primeiras universidades fundadas na história, 10 continuam em funcionamento, evidenciando as sólidas raízes acadêmicas do país. A contribuição significativa para a pesquisa e o ensino de alto nível é exemplificada pelo vencedor do Prêmio Nobel de Física em 2021, Giorgio Parisi, cuja trajetória acadêmica se desenvolveu na Sapienza, a prestigiosa Universidade de Roma.
     
  3. França: classificada como a sétima maior economia mundial pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em 2023, o país oferece diversas oportunidades educacionais por meio da plataforma Campus France, agência governamental dedicada à promoção do ensino superior, acolhimento e mobilidade internacional e apresenta um notável índice de contratação de profissionais brasileiros. Ademais, o francês, é a quinta língua mais falada globalmente segundo dados de 2020 da Ethnologue, reforça sua relevância global, ampliando as perspectivas de carreira para aqueles que dominam esse idioma.
     
  4. Alemanha: estudar na Alemanha oferece uma oportunidade única, com uma educação de alta qualidade em um ambiente acadêmico globalmente renomado. Universidades como a Universidade Técnica de Munique (TUM) e a Universidade Ludwig Maximilian de Munique ocupam as posições 37ª e 54ª, respectivamente, no QS World University Rankings 2024. Além da qualidade acadêmica, o país proporciona uma rica experiência cultural, elevada qualidade de vida e a oportunidade de aprender um idioma altamente valorizado no cenário internacional.

Quer realizar intercâmbio? Veja as agências certificadas, aqui!

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.