segunda-feira, 15 abril, 2024
segunda-feira, 15 abril, 2024

Com termômetros registrando recordes de calor, manter o corpo hidratado é vital, diz nutricionista

Em

Não está fácil para ninguém. As mudanças climáticas estão colocando o planeta de pernas para o ar e, no Amazonas, a estiagem – seca dos rios e escassez de chuvas – as queimadas e fumaças, e o aumento da temperatura – de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), 3ºC acima do previsto para o período – está transtornando a vida de seus habitantes. Com o termômetro registrando recordes históricos, atingindo os 40ºC e sensação térmica ainda maior, o cuidado com a saúde é fundamental.

“Manter o corpo hidratado é o principal aliado. Uma boa alimentação e hidratação durante os períodos de muito calor são essenciais para garantir o bem-estar e a saúde”, afirma Lívia Ribeiro, nutricionista do Grupo Nova Era. “Há riscos de insolação, exaustão, desidratação, problemas respiratórios, distúrbios do sono e agravamento de condições de saúde pré-existentes, como doenças cardíacas, pressão alta e diabetes”, explica. “Fique atento aos sinais de desidratação, como sede intensa, boca seca, urina escura e fraqueza. Beba água”, reforça.

A nutricionista destaca que a chave para uma boa alimentação em períodos de calor é manter-se bem hidratado e escolher alimentos leves e refrescantes. “Adaptar sua dieta às condições climáticas pode ajudar a garantir que você se sinta energizado e confortável durante os dias quentes”, diz.

Entre os conselhos e sugestões, Lívia Ribeiro indica a ingestão regular de água, ao longo do dia, mesmo que a pessoa não esteja com sede. É preciso também evitar bebidas açucaradas e com cafeína, pois podem contribuir para a desidratação. Também é recomendável ingerir alimentos ricos em água, como melancia, melão, pepino, morando e alface.

As refeições devem ser leves e de fácil digestão, como saladas, peixes grelhados, frango cozido e legumes no vapor. “Evite alimentos pesados e ricos em gordura, assim como frituras, porque vão fazer o corpo ficar mais pesado, lento e desconfortável”, observa.

Outras dicas são para incluir frutas e iogurte nas opções de lanches e evitar açúcar e álcool. “Se beber álcool, faça-o com moderação e intercale com água”, afirma a nutricionista.

Mais um risco à saúde é o uso excessivo de ar refrigerado em ambientes internos, o que pode provocar choque térmico com o calor externo. “Em geral, uma pessoa bem hidratada, bem alimentada e com o sono regular está com uma boa imunidade também. Mas, na ausência desses fatores, há possibilidades maiores de que adoeçam”, adverte.

Crianças

Os cuidados com a saúde das crianças, nesse período, devem ser intensificados. “A alimentação das crianças deve ser equilibrada e nutritiva durante todo o ano, mas em períodos de muito calor, é importante prestar atenção a alguns cuidados específicos para garantir que se mantenham saudáveis e bem-hidratadas”, orienta.

Entre os cuidados está a hidratação. Pais e responsáveis devem se certificar de que a criança beba água regulamente ao longo do dia, evitando refrigerantes e outras bebidas açucaradas. Frutas frescas, legumes, iogurte e cereais integrais também devem ser oferecidos a elas.

É preciso evitar que passem por exposição direta ao sol durante as horas mais quentes e, quando isso for necessário, garantir o uso do protetor solar, chapéus e roupas leves para proteger a pele e, sobretudo, ficar muito atento aos sinais de superaquecimento nas crianças, como a irritabilidade, suor excessivo, pele quente e seca, sede extrema e fraqueza. “Se você notar esses sinais, leve a criança para um local fresco e ofereça água”, explica Lívia.

EFEITOS DO CALOR SOBRE A SAÚDE

  • Insolação – A exposição prolongada ao calor extremo pode levar à insolação, uma condição grave que ocorre quando o corpo não consegue dissipar o calor adequadamente. Os sintomas incluem febre alta, confusão, desmaios, pulso rápido e pele quente e seca.
  • Exaustão por calor – A exaustão por calor é uma condição menos grave que a insolação, mas ainda assim pode ser perigosa. Os sintomas incluem fraqueza, tontura, náusea, vômitos, sudorese excessiva e dor de cabeça.
  • Desidratação – O calor extremo pode aumentar a perda de líquidos através da transpiração, levando à desidratação. Sintomas de desidratação incluem sede intensa, boca seca, urina escura e diminuição da produção de urina.
  • Problemas respiratórios – Em climas muito quentes e secos, a qualidade do ar pode piorar, o que pode agravar problemas respiratórios, como asma e bronquite. No caso da nossa região, o que afetará não é o clima seco, mas sim o excesso de fumaça nesse período.
  • Agravamento de condições pré-existentes – O calor extremo pode agravar condições médicas preexistentes, como doenças cardíacas, pressão alta e diabetes.
  • Distúrbios do sono – Noites quentes e desconfortáveis podem interferir no sono, levando à insônia e à fadiga durante o dia.

Dicas refrescantes

Água saborizada de laranja e hortelã

Ingredientes:

20 unidades de folhas de hortelã

2 laranjas médias cortadas em rodelas finas

1 litro de água filtrada

Em uma jarra, deixe de noite para o dia seguinte as folhas de hortelã e as fatias de laranja na água filtrada, na geladeira. Sirva água aromatizada no dia seguinte.

Abacaxi com raspa de limão

Corte uma porção de abacaxi em quadradinhos, mais ou menos duas fatias finas ou 100g, e polvilhe as raspas de limão no abacaxi cortado.

Suco refrescante

Ingredientes:

1 xícara de abacaxi em cubos

2 copos (400ml) de água

5 folhas de hortelã

gelo

Em um liquidificador, bata o abacaxi, a água, as folhas de hortelã e o gelo. Sirva gelado.

Suco de uva com água de coco

Ingredientes:

4 uvas sem semente

1 copo de água de coco

gelo a gosto

Em um liquidificador, bata as uvas sem semente com a água de coco. Acrescente o gelo e bata mais uma vez. Servir gelado.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.