segunda-feira, 15 abril, 2024
segunda-feira, 15 abril, 2024

“Lá ele!”: ranking revela os memes mais buscados no Google Brasil em 2023

Em

Se você tem o costume de navegar pelas redes sociais, provavelmente se deparou com um tal de Zé da Manga nas últimas semanas. Mais do que isso, aliás: é possível que não tenha apenas escutado algo sobre ele, mas ficado com a música que leva seu nome (Ah, Zé da Manga/ Zé da Manga…) na cabeça.

Não é por acaso: nos últimos seis meses, esse foi um dos memes mais procurados da internet brasileira, com mais de 400 mil pesquisas nos mecanismos de busca de Norte a Sul do país.

Nesse caso, a música foi postada originalmente pelo canal de Youtube Sr. Nescau, conhecido por montar remixes de canções aleatórias em batida de funk. Só que, aos poucos, o que antes era um meio de trollar alguém — já que a frase é cantada de forma parecida com o clássico “gemidão do zap” — viralizou pela Web, sobretudo após o streamer Nobru cair na trollagem e passar a usá-la à exaustão.

Mas, afinal, ao lado do Zé da Manga, que outros conteúdos virais estiveram por trás dos picos de buscas online em todo o país nos últimos seis meses? Quem traz a resposta é a plataforma Preply, cujo novo levantamento revela os memes que mais fizeram as pessoas recorrerem aos mecanismos de pesquisa de março a agosto deste ano. Confira!

Fake Natty

Um dos canais mais engraçados do Brasil hoje é, sem dúvida, o do nutricionista Rodrigo Góes. Uma verdadeira fábrica de memes — ele criou “Pope Francis”, por exemplo —, é dele a expressão “fake natty” (fake néri) para “denunciar” pessoas que postam fotos com o corpo sarado, mas, desconfia-se, usam hormônios sintéticos para chegar ao resultado.

Fake natty é, no canal de Góes, uma espécie de julgamento — e não à toa ele o faz com um martelo de juiz batendo sobre a mesa —, em que a pessoa avaliada é definida como “falsa natural” enquanto ele explica suas motivações.

Já entraram no crivo do “fake natty” famosos como o apresentador Marcos Mion, Hulk, atacante do Atlético-MG, e o cantor Gusttavo Lima.

Suquinho de maracujá

Esse é mais um daqueles memes fofinhos: filmado pelos pais no carro, em maio, um garoto apareceu no Instagram expressando prazer enquanto tomava um suco de maracujá (ou “murucujá”, como ele diz).

Ao fundo, se ouvia a música “Caiu No Meu Papinho Já Era”, de Kevin o Chris e MC Caja (O iPhone no suporte ela avistou/ Brisou no cabelinho do menor/ Passou cinco minuto, ele arrastou/ Mexeu com os pitbull/ é um papo só), cantada e dançada pelo garotinho em questão.

A identidade do menino logo foi descoberta: trata-se de Arthur Pires, de 6 anos, que mora em um bairro na periferia de São Paulo. Publicado há quatro meses, o post já soma cerca de 80 milhões de visualizações no Instagram, o que lhe rendeu mais de um milhão de seguidores na plataforma.

Não gostei, asmei

Em junho, o podcast super popular PodPah recebeu o cantor angolano Príncipe Ouro Negro para uma conversa com o comediante Diogo Defante no quadro Rango Brabo. Tudo ia bem até que, durante a prova de um doce, ele lançou a frase que se tornaria meme: “Não gostei… asmei!”.

Durante o encontro, o próprio Defante não aguentou e caiu na risada, enquanto Ouro Negro permaneceu comendo o doce.

O meme, porém, se explica por outro motivo: a multidão de influencers angolanos que arrancam risadas dos brasileiros pelo sotaque com que falam português.

O próprio Ouro Negro, em uma música bastante popular nas redes, pronuncia a palavra “macaco” como “masqueicos”, canção composta depois da viralização de um vídeo seu procurando pelos animais em uma floresta. Vale lembrar que o cantor é chamado, na Angola, de “Rei do Kuduro”.

Attenzione pickpocket

Até o momento, é provável que este seja o meme mais viral do Brasil em 2023.

Tudo começou quando, em julho, ganhou repercussão mundial o vídeo de uma mulher italiana alertando, exasperada, os turistas a se protegerem dos batedores de carteira em Veneza. Para se ter uma ideia, somente no post original, no canal “Cittadini Non Distratti”, mais de 10 milhões de pessoas já deram o play.

O áudio da mulher berrando pelas ruas da cidade enquanto filma os ladrões (ela também grita “attenzione, borseggiatrici”, o equivalente a “cuidado com os batedores de carteiras”, em português) foi usado para produzir uma variedade de outros memes, o que não foi visto com bons olhos pela italiana.

Em meio à ampla divulgação de seu vídeo, Monica Poli, o nome por trás do alerta engraçado, usou suas redes sociais para se defender da zoação e dizer que ela só estava tentando ajudar os desavisados.

Fui ao mossar

Quando o assunto são os memes, as brincadeiras envolvendo a língua portuguesa são aquelas que as redes sociais mais gostam. Ainda mais se o erro é gritante e público ao mesmo tempo.

Pois foi exatamente o que aconteceu com um desconhecido de uma loja que, ao sair do trabalho, resolveu deixar uma placa na porta do estabelecimento com a frase: “Fui ao mossar” (“Fui almoçar”).

Postado pela primeira vez no perfil do Facebook Gramaticando em 2015, o meme ganhou vida nova neste ano, sobretudo após o famoso canal South America Memes (SAM) publicar a foto para seus 4 milhões de seguidores.

O interessante é que, de lá para cá, muitas pessoas têm publicado conteúdo nas redes defendendo o autor da frase — e chamando atenção para os preconceitos linguísticos que envolvem as risadas em torno da famosa frase.

Apocalíptico

Outro meme que brinca com o português. No começo do ano, o influencer Estevão Ferreira, de Recife, viralizou nas redes sociais com um bordão que ele criou de propósito, nada ao acaso: dizer “apocalíptico”.

É um jeito particular de enfatizar que algo é polêmico, que chama atenção, fazendo barulho onde chega.

Ferreira também é famoso nas redes por publicar vídeos em que ele corrige as pessoas sobre seu nome, quando não o assina aleatoriamente. No fim das produções, o pernambucano sempre repete o nome inteiro como uma forma de marcar quem está falando.

Caso o nome não soe tão desconhecido por aí, talvez seja porque Estevão Ferreira já é famoso desde 2020, quando criou outro bordão clássico: o “beijos de luz”. Realmente, uma fábrica de memes!

Lá ele

Não é novidade que os memes com gírias regionais ou sotaques sempre dão o que falar. Por esse motivo, não causa surpresa que outro dos mais buscados na internet em 2023 seja, na verdade, algo sobre o jeito baiano de conversar.

“Lá ele” é uma maneira popular, especialmente em Salvador, de negar uma frase de duplo sentido que foi dita antes por outra pessoa. Um exemplo são as ocasiões em que alguém diz: “Vou dar tudo de mim” e, como resposta, ouve de um amigo: “Lá ele”.

Embora já seja bastante conhecido na Bahia, vale dizer que o bordão cresceu na Copa do Mundo de 2022, quando o nome da mascote do torneio (La’eeb) era pronunciado de forma parecida com a gíria em questão.

A viralização foi tamanha que, no começo desse ano, o cantor Tierry aproveitou a febre para compor uma música chamada “Lá ele” ao lado de outro fenômeno: o cantor (e meme!) Manoel Gomes.

Metodologia

Para desvendar as expressões de maior interesse no país, a pesquisa da Preply teve como ponto de partida os termos em ascensão relacionados ao tema “meme” na ferramenta Google Trends, cujo período de análise abarcou pesquisas realizadas entre março e agosto deste ano nos mecanismos de busca. Compreendidas as frases virais de maior relevância, uma segunda análise girou em torno da quantidade total de buscas de cada meme no período — o que possibilitou a criação de um ranking com base no comportamento digital dos brasileiros nos últimos seis meses.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.