sábado, 20 abril, 2024
sábado, 20 abril, 2024

PGE-AM e Secretaria de Cultura firmam parceria para restaurar acervo de documentos centenários pertencentes ao órgão

Em

A Procuradoria Geral do Estado (PGE-AM) deu início, no dia 15 de março, a uma importante parceria com a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. O objetivo é promover a devida conservação, restauro e reprodução digital de um importante acervo histórico-bibliográfico, do qual a PGE-AM possui a legítima custódia, desde a sua fundação, há mais de 50 anos.

Catalogados sob as rubricas de “Livros-Tombo dos Próprios do Estado do Amazonas” e “Livros de Convênios e Contratos”, compõem um conjunto de nove livros de fundamental importância para acadêmicos, pesquisadores, escritores e historiadores, por se tratarem de documentos, na maioria, centenários, alguns remontando à época da Província (décadas de 1850-1880); e outros ao chamado “Ciclo da Borracha” no Amazonas (1890-1914); e um pouco mais além (décadas de 1920 a 1960).

Os livros foram entregues pelo coordenador do projeto, procurador do Estado do Amazonas Ronald Carpinteiro Péres, e pela coordenadora de Pesquisa Jurídica da PGE-AM, Islene Botelho, aos cuidados da responsável pelo Ateliê de Restauro da Secretaria de Cultura, Judeth Costa, mediante a devida assinatura de um Termo de Cautela.

“Diante da constatação de tal status, e da fragilidade física de tal acervo, a Procuradoria Geral do Estado desde meados do ano passado, entrou em tratativas com a Secretaria de Cultura no sentido de tomar providências adicionais a fim de melhor salvaguardá-lo, tanto fisicamente quanto em relação ao seu inestimável conteúdo”, explica Ronald Carpinteiro Péres. Após o trabalho de restauro dos documentos, os mesmos serão devolvidos ao acervo permanente da PGE-AM.

Trata-se de um acervo precioso e ímpar, que conta a história e traça a cronologia da aquisição de imóveis e da construção de edifícios-símbolo da cidade de Manaus – Teatro Amazonas, Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro, escolas, repartições e outros prédios públicos antigos – bem como dos contratos celebrados pelo Estado com concessionárias estrangeiras e outras firmas particulares responsáveis pela urbanização e infraestrutura da capital e do interior dentro do período histórico em comento.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.