quarta-feira, 29 maio, 2024
quarta-feira, 29 maio, 2024

Casa Vogue promove intercâmbio entre designers de todo o Brasil

Em

O que é que Trancoso tem? Foi com essa inquietação que, refrescados pela brisa inigualável da Bahia, a equipe da redação deu largada a segunda edição do Casa Vogue na Estrada, uma roadtrip que desbravou o sul da Bahia, promovendo um intercâmbio criativo entre artesãos locais e artistas e designers de diversas partes do Brasil.

De povoado remoto a xodó da comunidade hippie nos anos 1970, o vilarejo experimentou grande crescimento turístico nas últimas décadas. Entre os estrangeiros que acabaram fincando raízes ali, o designer holandês Wilbert Das responde por um relevante intercâmbio que reanima as tradições do artesanato local.

A vila de pouco mais de 10 mil habitantes é um distrito de Porto Seguro. Os registros documentam o seu Rio dos Frades como lugar de desembarque da esquadra de Pedro Álvares Cabral, em 22 de abril de 1500. 86 anos depois seria fundada ali a aldeia jesuíta São João Batista dos Índios. Até a década de 1970, data de sua redescoberta pelos hippies, o vilarejo se manteve praticamente anônimo. Por lá não circulava dinheiro, vivia-se de trocas. À noite, sem luz elétrica, os moradores se reconheciam pela silhueta e pelos trejeitos do andar. Os biribandos, como passaram a ser chamados os forasteiros, almejavam justamente esse modo de vida alternativo, mas as transformações vindas com eles apresentaram os dois lados da moeda: enquanto surgiam mais oportunidades de emprego e educação, além de uma valorização dos trabalhos artísticos e artesanais dos nativos, também aportaram a especulação imobiliária, a falta de segurança e a degradação do meio ambiente.

Hoje com alto potencial turístico, Trancoso demonstra uma tentativa bem-sucedida de convivência pacífica entre suas tradições e as novidades que chegam de todos os lados. Não raro, esse clima de cidade do interior, com a vantagem de um oceano de águas muito verdes, enfeitiça visitantes a ponto de roubá-los de suas terras natais. Aconteceu com Wilbert Das, designer holandês atuante por 20 anos como diretor criativo da marca italiana Diesel: quando visitou Trancoso em 2004, se apaixonou à primeira vista. “Eu chorei quando retornei à Itália. Tinha certeza de que queria morar aqui um dia.” Depois de voltar algumas vezes, arrematou um terreno e logo começou a levantar o que hoje é o Uxua Casa Hotel & Spa, um complexo hoteleiro com 13 casas distribuídas ao redor do Quadrado. Aos poucos, os próprios hóspedes começaram a pedir que Wilbert desenvolvesse refúgios particulares para eles. A partir daí ele convocou o amigo Peter Kempkens, seu colega na época da graduação na Escola de Belas Artes, na Holanda, e com quem havia trabalhado na Diesel, para tocar esses projetos.

A fim de dar vazão à sua criatividade, Wilbert se empenhou no design de móveis e objetos. Além de fundar a marca de decoração Uxua DAS, inaugurou um intercâmbio, reunindo gente do mundo todo e de outros cantos do Brasil para colaborar com ele e com artesãos na invenção de novas peças. Esse anseio por estabelecer conexões entre materiais, tempos e pessoas inspirou a missão maior da empreitada. O resultado dessa imersão, que contou com a designer têxtil Ana Vaz, Cynthia Massote e Mariana Hardy, do estúdio Hardy Design, Liliane Rebehy, diretora criativa da Coven, a ceramista Paula Juchem, os artistas Hugo França, Laila Assef, Naná Lavander e Valquito Lima, o pintor Damião Vieira e os artesãos Pila, Evandro, Zé da Cerâmica e Tukunã, além de Wilbert e Peter, poderá ser conferida em 2021 – acompanhe a Casa Vogue pelas redes sociais para não perder nenhuma novidade.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.