quarta-feira, 17 abril, 2024
quarta-feira, 17 abril, 2024

Feijão carioca pode substituir o whey protein? Descubra a verdade sobre esse alimento

Em

O feijão carioca, é uma variedade popular no Brasil e em várias partes do mundo. Ele se destaca por sua coloração característica, com grãos que têm uma base bege clara e manchas marrons. Além de ser amplamente cultivado no solo brasileiro, o feijão carioca é uma fonte nutricionalmente densa de proteína, fibras e diversos outros nutrientes essenciais.

O estudo contou com recursos provenientes da Embrapa e do Programa de Incentivo à Pesquisa, do The Good Food Institute (GFI).

A Embrapa Agroindústria de Alimentos realizou um estudo pioneiro no Brasil, produzindo um concentrado proteico de feijão carioca que promete ser uma alternativa saudável e nacional ao whey protein. A médica nutróloga Dra. Letícia Lucas explica tudo sobre o feijão carioca, seus nutrientes e benefícios, comenta os resultados da pesquisa e como essa descoberta pode impactar nossa alimentação e a indústria de alimentos.

Feijão carioca: rico em proteína

O grande destaque? Sua concentração de proteína. A pesquisa revelou que esse grão contém incríveis 80 gramas de proteína a cada 100 gramas, o que equivale a cerca de 80% de sua composição. Isso significa que o feijão carioca tem um valor proteico surpreendentemente alto, rivalizando com outras fontes de proteína, incluindo o whey protein, feito a base de soro do leite.

A riqueza do feijão carioca não se limita apenas à proteína. Este grão é uma excelente fonte de fibras alimentares, vitaminas, minerais e antioxidantes. As fibras auxiliam na digestão, mantêm níveis saudáveis de açúcar no sangue e promovem a saciedade. O feijão carioca também fornece nutrientes como ferro, zinco, magnésio, folato e vitaminas do complexo B, que desempenham papéis essenciais na manutenção da saúde.

O concentrado proteico de feijão carioca mantém todos os aminoácidos essenciais em quantidades recomendadas, conforme as diretrizes da Instrução Normativa n° 75 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e os requisitos mínimos de aminoácidos essenciais estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Universidade das Nações Unidas (UNU). Esse alto teor de proteína faz dele um ingrediente ideal para a formulação de diversos produtos alimentícios.

No Brasil, o feijão carioca é muito mais do que apenas um alimento. Ele é um símbolo cultural e nutricionalmente relevante para a população. Em muitos lares brasileiros, o feijão é uma presença constante à mesa, e sua importância vai além da nutrição. Ele também desempenha um papel na conexão com as raízes culturais e na promoção de hábitos alimentares saudáveis.

Alternativa para whey protein

Para muitos, o whey protein tem sido a principal fonte de proteína suplementar. No entanto, algumas pessoas podem não tolerar bem a proteína do soro do leite ou preferem dietas veganas. “Nesse sentido, o concentrado de proteína de feijão carioca é uma alternativa significativa. Ele se encaixa perfeitamente na crescente tendência de produtos à base de plantas, fornecendo um valor nutricional comparável aos produtos de origem animal”, destaca a Dra. Letícia Lucas.

Nos últimos anos, o consumo de feijão no Brasil tem diminuído, o que é motivo de preocupação. Os grãos de feijão contêm aminoácidos essenciais e fibras, que desempenham um papel vital na promoção da saúde. Com a pesquisa revelando o alto teor de proteína do feijão carioca, é hora de repensar nossa relação com esse alimento tradicional e nutritivo.

O concentrado proteico de feijão carioca pode ser usado em uma variedade de produtos à base de plantas, como hambúrgueres, empanados, salsichas, linguiças, leites vegetais e iogurtes. Além disso, ele pode ser incorporado em panificação, bebidas e suplementos alimentares. Essa versatilidade abre caminho para uma ampla gama de produtos que atendem às necessidades de diferentes consumidores.

A pesquisa buscou não apenas criar um produto nutricionalmente rico, mas também respeitar o meio ambiente. O uso de processos de produção simples, que envolvem principalmente água como solvente, representa uma abordagem ambientalmente amigável. Isso não apenas reflete positivamente na imagem do produto, mas também contribui para a sustentabilidade.

“No entanto, ao adotar o feijão carioca ou qualquer outro alimento em sua dieta, é fundamental equilibrar a alimentação e buscar orientação de um profissional de saúde para garantir que suas necessidades nutricionais específicas sejam atendidas. A diversidade de alimentos é fundamental para promover uma dieta equilibrada e saudável”. Conclui a Dra. Letícia Lucas.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.