quinta-feira, 20 junho, 2024
quinta-feira, 20 junho, 2024

Rússia lança módulo em busca de água na Lua

Em

A Rússia realizou hoje o lançamento inaugural de uma nave em direção à Lua, marcando um intervalo de 47 anos desde sua última empreitada lunar. O objetivo é se tornar a primeira nação a realizar um pouso controlado no polo sul da Lua, região especulada por conter valiosas reservas de gelo.

A empreitada lunar russa, a primeira desde 1976, está competindo com a Índia, que enviou seu módulo lunar Chandrayaan-3 ao espaço no mês passado. Além disso, enfrenta a concorrência dos Estados Unidos e China, ambas com programas de exploração lunar avançados que também visam o polo sul da Lua.

Na madrugada de hoje, um foguete Soyuz 2.1 transportando a sonda Luna-25 partiu do cosmódromo de Vostochny, situado a 5.550 quilômetros a leste de Moscou, em direção ao espaço.

A previsão é que a sonda alcance a superfície lunar em 21 de agosto, de acordo com Yuri Borisov, líder da agência espacial russa, embora a data de pouso inicialmente estivesse marcada para 23 de agosto.

“Estamos aguardando o dia 21 com expectativa. Desejamos um pouso suave e preciso na Lua”, afirmou Borisov após o lançamento no cosmódromo de Vostochny. “Nossa ambição é sermos os pioneiros.”

Com dimensões aproximadas de um automóvel compacto, o Luna-25 planeja operar por um período de um ano na região do polo sul lunar. Esse local foi identificado por cientistas da NASA e outras agências espaciais como uma possível fonte de gelo em crateras sombreadas.

A presença de água na Lua, um mistério que perdurou por séculos, ganhou destaque recentemente. Mapas da NASA em 2018 revelaram indícios de gelo em áreas menos iluminadas do satélite, e em 2020 a agência confirmou a existência de água mesmo em áreas expostas à luz solar.

Diversas potências globais, como os Estados Unidos, China, Índia, Japão e União Europeia, intensificaram seus estudos sobre a Lua nos últimos anos. No entanto, vale ressaltar que missões recentes, como a japonesa no ano passado e a israelense em 2019, tiveram insucessos em seus pousos lunares.

Borisov anunciou que pelo menos outras três missões lunares estão programadas para os próximos sete anos. Além disso, Rússia e China planejam colaborar em uma possível expedição tripulada à Lua após esse período.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.