quinta-feira, 20 junho, 2024
quinta-feira, 20 junho, 2024

Amazonas mantém o primeiro lugar no ranking de competitivo da Região Norte

Em

No ranking geral, o Estado subiu duas posições em relação a 2022, ocupando a 14º colocação

O Estado do Amazonas é o mais competitivo da Região Norte e o 14º do Brasil. Os dados são do Ranking de Competitividade elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em 2023, que há 12 anos avalia a competitividade dos estados brasileiros. A área da Segurança Pública foi a que mais apresentou avanços no estado, com o crescimento de dez posições em relação a 2022.

Para o governador Wilson Lima, isso é resultado de um comprometimento com a população. “Essa classificação é importante para atrair novos investimentos, gerando emprego e renda para nosso povo. Isso é trabalho que transforma”.

No ranking geral, o Estado subiu duas posições em relação a 2022, ocupando a 14º colocação. Os estados mais bem posicionados no Ranking de Competitividade de 2023 foram São Paulo (1º); Santa Catarina (2º); Paraná (3º) e Distrito Federal (4º).

“O Amazonas saiu do ranking geral de competitividade dos estados, da 16ª posição, em 2022, para 14ª posição, neste ano. Isso representa os bons investimentos e a boa condução dos trabalhos administrativos do Governo Estadual. Os pilares que nos levaram a essa ascensão foram Inovação, eficiência da máquina pública, sustentabilidade ambiental, solidez fiscal e segurança pública”, disse o secretário de Estado de Administração e Gestão (Sead), Fabrício Barbosa.

O Ranking avaliou 99 indicadores, em 10 pilares temáticos: Infraestrutura, Sustentabilidade Social, Segurança Pública, Educação, Solidez Fiscal, Eficiência da Máquina Pública, Capital Humano, Sustentabilidade Ambiental, Potencial de Mercado e Inovação. Esses eixos avaliam a competitividade do estado em produzir riqueza.

FOTOS: Arquivo/ Secom

Pilares

Conforme relatório técnico da CLP referente aos estados, na área da Segurança Pública o Amazonas teve o maior avanço de posição no pilar, em 2023, com relação ao ano passado, registrando um salto de 10 colocações, passando da 24ª para a 14ª posição.

O Estado amazonense apresentou melhora relativa nos indicadores de Déficit Carcerário (+5 posições), Atuação do Sistema de Justiça Criminal (+1) e Mortalidade no Trânsito (+1), além de ocupar posição favorável no novo indicador de Violência Sexual (2ª posição).

No pilar Inovação, o Amazonas subiu 3 posições, ficando em 5ª colocação. Esse eixo envolve a introdução de novas técnicas e métodos que transformam positivamente os processos existentes no interior das empresas, organizações e da sociedade em geral; investimentos Públicos em P&D, Patentes, Bolsa de Mestrado e Doutorado, Empreendimentos Inovadores e Pesquisa Científica, Empresas de Alto Crescimento e Informação e Comunicação.

No pilar Sustentabilidade Ambiental, o Amazonas subiu 5 posições, ocupando a 10º colocação, em 2023, com destaque para o indicador de Transparência das Ações de Combate ao Desmatamento. Nesse eixo, consideram-se indicadores ligados à emissão de gases poluentes, desmatamento e manejo do esgoto, resíduos e recursos hídricos.

FOTOS: Arquivo/ Secom

Já no Eficiência da Máquina Pública, o estado apresentou crescimento de cinco posições, ficando na 7ª colocação em relação a 2022. Esse pilar enfatiza a profissionalização e o desenvolvimento de canais institucionais para reforçar a meritocracia no interior da administração pública.

No pilar Solidez Fiscal, o estado manteve a 12º posição em relação a 2022. De acordo com o relatório, para se capturar o grau de solidez fiscal dos estados, foram utilizados indicadores que levam em conta dimensões distintas, mas inter-relacionadas, de sustentabilidade fiscal. São eles: Taxa de Investimentos, Regra de Ouro, Solvência Fiscal, Sucesso do Planejamento Orçamentário, Dependência Fiscal, Resultado Primário, Gasto com Pessoal, Índice de Liquidez e Poupança Corrente.

CLP

Fundado em 2008, o Centro de Liderança Pública (CLP) desenvolve líderes públicos empenhados em promover transformações sociais por meio da eficácia da gestão e da melhoria da qualidade das políticas públicas.

O Ranking de Competitividade dos Estados foi concebido pelo CLP, em 2011, com o desenvolvimento técnico a cargo da Economist Intelligence Unit, com o intuito de gerar diagnósticos e direcionamentos para a atuação dos líderes públicos estaduais. Em 2015, em sua quarta edição, o trabalho passou a contar também com a contribuição técnica da Tendências Consultoria Integrada.

A partir da edição de 2021, o Ranking passou a ser concebido apenas pela Tendências. Em sua concepção atual, o ranking possibilita identificar, dentro de cada um de seus 10 pilares temáticos, quais são os pontos fortes e fracos que influenciaram a classificação final do Estado em cada um dos indicadores contemplados.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.