segunda-feira, 15 abril, 2024
segunda-feira, 15 abril, 2024

Elenco de ‘Ária – Fazendo A Vida Viver’ é selecionado após três dias de audições

Em

A produção do filme “Ária – Fazendo a Vida Viver”, que contará com a direção de Cleinaldo Marinho, está a todo vapor. Após três dias de audições, boa parte do elenco já foi selecionada. A atriz Bruna Pollari viverá Ária, jovem de 18 anos que foi assassinada com um tiro enquanto tocava seu violino, no Ideal Clube, em Manaus, durante um baile de Carnaval, em 1915.

De acordo com Cleinaldo Marinho, ao todo, foram mais de 120 inscritos para as audições. “Esse número nos chamou bastante atenção e ficamos felizes com a adesão de atrizes e atores. As inscrições ficaram abertas apenas por duas semanas, mas a procura foi intensa. Dos 120, selecionamos 105 para participar do processo de escolha dos personagens. Apesar de ser uma história baseada em um acontecimento real, não tínhamos características pré-definidas”, comenta ele, salientando que, o roteiro já tinha sido escrito, mas durante as audições acabaram ocorrendo algumas alterações em decorrência das características e qualidades dos participantes.

Cleinaldo ressalta que a questão da expressão facial, bem como as nuances do olhar dos candidatos (atores e atrizes), foi muito importante para as escolhas. “Isso foi levado em consideração, e absolutamente a qualidade de cada interpretação. Foram três dias de audições, das 8h às 17h. Para cada personagem, escolhemos três atores e, depois, fizemos a seleção final. Além disso, a escolha não se deu apenas ao ‘olho nu’, mas também por meio das lentes de câmera para que pudéssemos ter a genuína percepção cinematográfica de cada uma de nossas escolhas,” detalha.

Entre os nomes já selecionados estão: Bruna Pollari, Leonardo Novelino, Vanessa Pimentel, Clayson Charles, Gabriel Mota, Rosana Neves, Michel Guerrero e Jôce Mendes. “A Ária, que será interpretada por Bruna Pollari, foi escolhida pelo talento, claro, mas também pelas características que ela imprimiu a personagem. Como disse, é um filme ficcional, mas baseado em uma história ocorrida em Manaus. Então, todos os atores tiveram a liberdade de imprimir características próprias durante as audições”, diz Cleinaldo.

Até o momento, o Departamento de Direção contará com os seguintes nomes: Cleinaldo Marinho (roteiro e direção), Ana Oliveira (assistente de direção), Lúcio Silva (diretor de fotografia), Denis Carvalho (diretor de produção), Luny Tota (direção de arte)  Jonatas Sales (figurino e caracterização), Heverson Batata (som direto) e Rina Sales (comunicação e pesquisa).

O diretor do filme adianta, ainda, que já foram realizados ensaios de mesa e leitura branca – que é o ato de exercitar a citação de textos literários e a leitura em voz alta – com as participações da equipe técnica, de arte, de fotografia, de produção e de direção. “Além disso, já demos início à construção de cenários e objetos de cena. Os figurinos estão em processo de pesquisa final, assim como a caracterização das personagens, já que é um filme de época”, fala.

Ainda serão escolhidos três artistas para o elenco de apoio e mais de 40 pessoas para a figuração. “Tudo isso será definido com o final da análise técnica. Ao todo, vamos gerar, aproximadamente, 160 empregos diretos e indiretos, gerando renda e economia criativa do nosso Estado”, finaliza.

A produção, que foi contemplada pela Lei Paulo Gustavo, tem o apoio do Governo do Estado do Amazonas, Conselho Estadual de Cultura, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, Ministério da Cultura e Governo Federal.

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.