quarta-feira, 17 abril, 2024
quarta-feira, 17 abril, 2024

Teatro Amazonas abre para visita gratuita no Dia Nacional do Patrimônio Histórico

Em

No Dia Nacional do Patrimônio Histórico, celebrado nesta terça-feira (17/08), o Teatro Amazonas abre as portas para visitas gratuitas em homenagem à data. Os prédios do Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro e Palacete Provincial, tombados como Patrimônio Histórico e Artístico do Amazonas, compõem a programação de acesso liberado, das 9h às 17h, com agendamento no Portal da Cultura (cultura.am.gov.br) e protocolos para evitar o risco de contaminação da Covid-19.

O secretário Marcos Apolo Muniz explica que a gratuidade do maior patrimônio histórico do Estado amplia as oportunidades para as pessoas conhecerem o Teatro Amazonas.

“É importante proporcionar ao público atividades que reforcem o sentimento de pertencimento em relação ao espaço e amplie a participação da sociedade civil”, afirma o titular da pasta de Cultura e Economia Criativa, que destaca ainda a visita a outros espaços. “No Centro Histórico, que recentemente teve o tombamento homologado pelo Ministério do Turismo, temos os palácios Rio Negro e da Justiça, e o Palacete Provincial, que também estão de portas abertas à população”.

As visitas ao Teatro Amazonas acontecem com grupos de 20 pessoas. Em 30 minutos, o público circula pelo Salão Nobre, Salão de Espetáculos e Salão Verde, intitulado “Sala de Exposição de Música e Dança”, até a Saleta de Exposição da Cúpula, além da maquete feita com blocos de Lego, uma escultura de bronze do artista francês Adrien Étienne Gaudez e o Camarim de época.

Palácios – Localizados no Centro Histórico de Manaus, o Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro e Palacete Provincial estão abertos para visitas de 45 minutos.

O Palácio da Justiça, que fica na avenida Eduardo Ribeiro e foi tombado em 1980, traz detalhes da arquitetura em estilo renascentista e da história do Poder Judiciário do Estado, abriga o Museu do Crime e exposições de diversas linguagens. “Caruanas – O foco repousa na força mística”, “Olhares Tumbira”, “Abraçando o Xapono”, “Severiano 90 anos” e “Arquiteotonicas” compõem o circuito de mostras da casa.

Localizado na avenida Sete de Setembro, 1.546, o Palácio Rio Negro conta com 228 peças no acervo e foi tombado em 1980 como Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Amazonas. Nas salas Antônio Bittencourt e Ephigênio Salles está a exposição “O Clamor da Mata”, de Pietro Bruno. Em 15 quadros, o artista plástico defende a preservação da cultura indígena, a flora e a fauna amazônicas, ao retratar elementos do cotidiano, tradições indígenas e da Floresta Amazônica.

Na Praça Heliodoro Balbi e tombado em 1988, o Palacete Provincial sedia a Pinacoteca do Estado e os museus de Numismática, Tiradentes, da Imagem e do Som e de Arqueologia. O local tem em cartaz a mostra “Na Sintonia do Rádio”, na sala José Bernardo Michiles, da antropóloga e diretora teatral Nonata Silva, que também é artista visual e contempla três recortes específicos que destacam a invenção, as primeiras transmissões, rádios antigos, as radionovelas e toda a diversidade de timbres e sons das rádios locais.

Protocolos – Os equipamentos culturais passam pelo processo de sanitização e têm totens de álcool em pontos estratégicos. São exigidos todos os procedimentos para evitar o risco de contaminação da Covid-19, entre eles o uso obrigatório de máscara, medição da temperatura e distanciamento de 1,5 metro. Também fica proibido o contato físico com elementos dos espaços, como colunas, paredes, vitrines expositoras, esculturas, pinturas, demarcadores, portas e maçanetas.

Salvaguarda – O Teatro Amazonas, os Palácios Rio Negro e da Justiça, e o Palacete Provincial são espaços culturais administrados pelo Governo do Amazonas, que reúne as secretarias de Cultura e Economia Criativa, de Administração Penitenciária e Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) para manutenção desses e outros prédios tombados.

No primeiro semestre de 2021, o Teatro Amazonas foi o primeiro a receber reformas numa parceria do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Foram retomados os serviços de modernização dos sistemas de combate a incêndios, pânico e proteção a descargas atmosféricas, a instalação de circuitos de monitoramento, assim como reparos nas pinturas interna e externa.

O projeto inclui ainda a instalação de alarme e mecanismo de detecção de fogo e fumaça via wireless (sem fio), para oferecer uma resposta rápida em caso de incidente.

Ainda no primeiro semestre o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da AADC, iniciou uma série de obras de modernização e reparos nos demais espaços culturais administrados pelo Estado. O cronograma contemplou o Palacete Provincial, a Biblioteca Pública do Amazonas e os centros culturais Usina Chaminé e Povos da Amazônia.

No Palacete Provincial foi feita a revisão geral da cobertura e forro do corredor do pavimento superior, recuperação de esquadrias, limpeza da cisterna, pintura da escada metálica, troca da porta de ferro da guarita e construção de mureta de contenção para evitar entrada de água no final do corredor do subsolo.

Na Usina Chaminé, por meio de uma parceria com a Amazonas Energia, foi implantado um projeto de proteção contra incêndio, que contempla os equipamentos necessários conforme as normas do Corpo de Bombeiros. O prédio deve receber a homologação do Iphan para abrigar as instalações do laboratório de Arqueologia Alfredo Mendonça.

Por meio do programa “Trabalhando a Liberdade”, realizado em parceria entre a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, 36 apenados do regime semiaberto realizam trabalhos de manutenção na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, com serviços de capinagem e roçagem do terreno. Essas horas trabalhadas serão convertidas em redução da pena.

Valoriza Patrimônio – A Secretaria de Cultura e Economia Criativa tem ainda o projeto “Valoriza Patrimônio”, que propõe a revitalização dos imóveis de valor arquitetônico, como o Palacete Cinco de Setembro, a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa e o Teatro Escola do Parque Jefferson Péres. Atualmente encontra-se em processo de busca de parceria público-privada, visando a obtenção de recursos para a execução do projeto.

Dia Nacional do Patrimônio Histórico – Uma homenagem a Rodrigo Melo Franco de Andrade, o primeiro presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e, também, um dos maiores responsáveis por sua criação, em 1937.

 

Compartilhar
Tags

Mais lidas

Recentes

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.